Coca-cola, Pepsi e Nestlé, estão a matar os oceanos.

Coca-cola, Pepsi e Nestlé, estão a matar os oceanos.

Coca-cola, Pepsi e Nestlé, estão a matar os oceanos. 1199 800 Ser Livre

As multinacionais Pepsi, Coca-Cola e Nestlé, são as que mais contribuem para o plástico nos oceanos, segundo um estudo do movimento ambientalista Break Free From Plastic.

Foi esta a conclusão que chegaram 10.000 voluntários a examinar lixo de 42 países. Após uma semana de recolha de lixo, em Setembro de 2018, em várias praias das Filipinas, Tailândia, Vietname, Austrália, Chile, Estados Unidos ou Espanha.

De entre mais de 187 mil pedaços de plástico recolhidos, 65% eram embalagens de produtos de grandes corporações mundiais, sendo que a maioria era destas empresas.

Em declarações à agência Efe, o coordenador do “Break Free from Plastic”, Von Hernandez, afirmou que as marcas “têm de escolher se são parte do problema ou da solução”, com as suas “embalagens de plástico desnecessárias”, e decidir se vão continuar a fabricá-las.

Mais de metade das peças encontradas são feitas de materiais muito difíceis ou impossíveis de reciclar, como o plástico usado em garrafas e em embalagens descartáveis.

Todos os anos são produzidas 320 milhões de toneladas de plástico e na próxima década a quantidade deverá aumentar 40%, o que fará aumentar exponencialmente a libertação de gases responsáveis pelo efeito de estufa.

No seu estudo, o movimento refere que a produção de plástico também expõe a substâncias nocivas as comunidades que vivem perto das fábricas e que a contaminação se estende aos produtos embalados.

Cerca de 80% das 8,3 mil milhões de toneladas de plástico produzidas desde 1950 ainda persiste no meio ambiente, especialmente nos oceanos, segundo estudos recentes citados hoje pelo “Break Free from Plastic”.

Enquanto consumidores podemos também obrigar as marcas a mudar. Se comprarmos de marcas ecológicas, as outras que não o são, serão obrigadas a mudar ou desaparecem. Podemos cada um de nós tomar a iniciativa e não esperar que as marcas mudem mas sim, sermos nós os agentes de mudança, para que esta se dê mais rápido.

Fonte: https://www.breakfreefromplastic.org/